A venda casada e o superendividamento decorrente do consumo emocional

Flavia Orsi Leme Borges

Resumo


O presente artigo tem por objetivo analisar o superendividamento dos consumidores agravado pela prática da venda casada e a aplicação deste instituto como mecanismo de recuperação de dignidade do consumidor e reinserção ao mercado de consumo, discorrendo sobre o princípio geral da boa-fé e o dever de informação.

Palavras-chave


Consumo Emocional – Boa-fé – Informação – Venda Casada – Superendividamento – Mínimo Existencial – Dignidade do Consumidor.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21207/1983.4225.122